Blog To Express, Not To Impress

16
Dez 10

 

 

 

Tira-me o pão,
se quiseres, tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por  ver que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no Outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite, do dia, da lua,
ri-te das ruas tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro rapaz que te ama,
mas quando abro os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar, a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

 

Pablo Neruda

publicado por Alex às 10:25
tags: ,

21
Abr 10

Nocturnamente te construo
para que sejas palavra do meu corpo

Peito que em mim respira
olhar em que me despojo
na rouquidão da tua carne
me inicio
me anuncio
e me denuncio

Sabes agora para o que venho
e por isso me desconheces.

Mia Couto

 


publicado por Alex às 16:04
tags: ,

20
Abr 10

Completely Full

There is an empty room inside this house
With everything you need
Close your eyes I’ll take you there
Together we can see

The emptiness is a facade
As it’s completely full
What it holds cannot be seen
But has such tremendous pull

There is no chair to sit upon
No pictures on the walls
But as it’s empty have no fear
That you will trip and fall

In this room there is no sound
Nothing stirs at all
But you can hear the most lovely things
Right within these walls

Come with me and take a look
No one but we two
And you’ll discover it’s not empty
As it contains my love for you.
publicado por Alex às 17:03
tags: ,

26
Mar 10

"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.

Más há também quem garanta que nem todas,

só as de verão.

No fundo, isso não tem importância.

O que interessa mesmo não é a noite em si,

são os sonhos.

Sonhos que o homem sonha sempre,

em todos os lugares, em todas as épocas do ano,

dormindo ou acordado."

 

William Shakespeare

publicado por Alex às 15:53
tags: ,

16
Mar 10

The time will come
when, with elation
you will greet yourself arriving
at your own door, in your own mirror
and each will smile at the other’s welcome,

and say, sit here. Eat.


You will love again the stranger who was your self.
Give wine. Give bread. Give back your heart
to itself, to the stranger who has loved you

all your life, whom you ignored
for another, who knows you by heart.


Take down the love letters from the bookshelf,

the photographs, the desperate notes,
peel your own image from the mirror.
Sit. Feast on your life.

 

Derek Walcott

publicado por Alex às 10:32
tags:

08
Mar 10

 

The existence of a thing is dream
An illusion to savor like a cream
But not until you taste its purity
Sense of touch makes reality.

The joy of beauty is a true bliss
An emotion to express like a kiss
But not after you execute by the lips
Sense of touch excites its every dips.

The pleasure of love is quite infinite
An intimate feeling clean and definite
But not when you express with a dearest
Sense of touch generates love as greatest.


Marvin Brato

publicado por Alex às 11:54
tags:

 

Não sejas o de hoje.
Não suspires por ontens...
Não queiras ser o de amanhã.
Faz-te sem limites no tempo.
Vê a tua vida em todas as origens.
Em todas as existências.
em todas as mortes.
não queiras marcar a tua passagem.
Ela prossegue:
É a passagem que se continua.
É a tua eternidade.
És tu.

Cecília Meireles

publicado por Alex às 10:58

05
Mar 10

Tabacaria - Fernando Pessoa

publicado por Alex às 11:43
tags: ,


Das Utopias - Mário Quintana

publicado por Alex às 10:39
tags:

04
Mar 10

it may not always be so; and i say
that if your lips,  which i have loved,should touch
another's, and your dear strong fingers clutch
his heart, as mine in time not far away;
if on another's face your sweet hair lay
in such a silence as i know, or such
great writhing words as, uttering overmuch,
stand helplessly before the spirit at bay;

if this should be, i say if this should be-
you of my heart, send me a little word;
that i may go unto him, and take his hands,
saying, Accept all happiness from me.
Then shall i turn my face, and hear one bird
sing terribly afar in the lost lands.

ee cummings

publicado por Alex às 10:58
tags:

23
Fev 10

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.

E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.

E os meios perfis não coincidiam.
Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.

Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade


04
Fev 10

Eu prometo não te prometer nada
Nem te amar para sempre
Nem não te trair nunca
Nem não te deixar jamais

Estou aqui, te sinto agora sem máscara nem artifícios
E enquanto for bom para os dois que o outro fique
Nada a te oferecer exceto eu mesmo
Nada a te pedir exceto que sejas quem tu és

A verdade é o que temos de melhor para compartilhar um com o outro
Tuas coisas continuam tuas e as minhas, minhas
Não nos mudaremos na loucura de tornar eterno esse breve instante que passa
Se crescermos juntos, ainda que em direções opostas, saberemos nos amar como somos e não teremos medo ou vergonha um do outro

 

Não te prendo e não permito que me prendas
Nenhuma corrente pode deter o curso da vida
Quero que sejas livre como eu próprio quero ser
Companheiros de uma viagem que está começando cada vez que nos encontramos novamente.

Geraldo Eustáquio de Souza
publicado por Alex às 15:00
tags:

20
Jan 10


Dou-te o Sol e a Lua e o firmamento
E todas as estrelas na palma da minha mão
Até o vento quente dos meus cabelos
E a plena luz do meu coração
Dou-te o som dos meus passos
A alegria e o sorriso de todas as horas
O calor rubescido do meu peito
Todos os crepúsculos e alvoradas
Dou-te o conforto dos meus abraços
E força ímpar do meu amor
O desejo no calor dos momentos
E a pele que mais não pede que o teu calor.

 

Madalena - Aliciante

publicado por Alex às 12:22
tags:

"Todas as noites
no fundo do bar
a uma mesa
bebo solidão.

Quem passa e me vê
da calçada
pensa que gozo
a pausa da vida
a faina que o tempo
no escuro amortalhou.

Ninguém percebe
que o queixo apoiado na
mão]
é a tristeza que cansou
e adormeceu."

(Homem triste - Carlos Fernando Fortes de Almeida)

publicado por Alex às 12:00
tags:

12
Jan 10

Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.


Fernando Pessoa

publicado por Alex às 18:06
tags:

11
Jan 10

Poesia
é brincar com palavras
como se brinca
com bola, papagaio, pião.

Só que bola, papagaio,pião
de tanto brincar
se gastam.

As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas
mais novas ficam.

Como a água do rio
que é água sempre nova.

Como cada dia
que é sempre um novo dia.

Vamos brincar de poesia?

José Paulo Paes

publicado por Alex às 16:20
tags:

08
Jan 10

 

Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objetos patéticos.
Cursos paralelos
Frente a frente...
...Sempre...
...A olharem-se...
Pensar talvez:
“ Paralelos que se encontram no infinito...”
No entanto sós por enquanto.
Eternamente dois apenas.
Dois - Errante

Pablo Neruda

publicado por Alex às 11:53
tags:

06
Jan 10

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender ...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

 

Fernando Pessoa

publicado por Alex às 17:33
tags:

04
Jan 10

O que me dói não é

O que há no coração

Mas essas coisas lindas

Que nunca existirão...


São as formas sem forma

Que passam sem que a dor

As possa conhecer

Ou as sonhar o amor.


São como se a tristeza

Fosse árvore e, uma a uma,

Caíssem suas folhas

Entre o vestígio e a bruma.


Fernando Pessoa

publicado por Alex às 23:08
tags:

03
Jan 10
Free Image Hosting

 

Não direi:

Que o silêncio me sufoca e amordaça.

Calado estou, calado ficarei,

Pois que a língua que falo é de outra raça.


Palavras consumidas se acumulam,

Se represam, cisterna de águas mortas,

Ácidas mágoas em limos transformadas,

Vaza de fundo em que há raízes tortas.


Não direi:

Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,

Palavras que não digam quanto sei

Neste retiro em que me não conhecem.


Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,

Nem só animais bóiam, mortos, medos,

Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam

No negro poço de onde sobem dedos.


Só direi,

Crispadamente recolhido e mudo,

Que quem se cala quando me calei

Não poderá morrer sem dizer tudo.


José Saramago
publicado por Alex às 23:40
tags:

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Amigos:
Zona Desportiva
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds