Blog To Express, Not To Impress

22
Set 09

"Talvez quem vê bem não sirva para sentir
E não agrada por estar muito antes das maneiras.
É preciso ter modos para todas as coisas,
E cada coisa tem o seu modo, e o amor também.
Quem tem o modo de ver os campos pelas ervas
Não deve ter a cegueira que faz fazer sentir.
Amei, e não fui amado, o que só vi no fim,
Porque não se é amado como se nasce mas como acontece.
Ela continua tão bonita de cabelo e boca como dantes,
E eu continuo como era dantes, sozinho no campo.
Como se tivesse estado de cabeça baixa,
Penso isto, e fico de cabeça alta
E o dourado sol seca a vontade de lágrimas que não posso deixar de ter.
Como o campo é vasto e o amor interior...!
Olho, e esqueço, como seca onde foi água e nas árvores desfolha."
Alberto Caeiro

publicado por Alex às 15:34
tags:

"Podemos ficar sentados a noite inteira
À espera de um sinal que nunca chega,
Podemos num desespero sem nome perder
O gosto de tudo, enquanto o eu permanece
Brilhante, estupidamente brilhante,

A sussurrar-nos ao ouvido a desgraça;
Podemos, numa lufa-lufa, ir de filme
Em filme, de livro em livro, como quem
Sem terra procura uma casa, um lugar

A que possa chamar seu, onde tenha os seus
Pertences e tempo para rir
E tempo para se aborrecer.
Podemos ter pena de nós próprios,
Podemos viver."
                                               Carlos Bessa

publicado por Alex às 12:20
tags:

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
19

20
26

27
29


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds