Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blow My Mind

Blog To Express, Not To Impress

Blog To Express, Not To Impress

Blow My Mind

30
Jul09

The Heart - The source of all action

Alex


"So the heart is the beginning of life, the Sun of the Microcosm, even as the Sun deserves to be call'd the heart of the world; for it is the heart by whose virtue and pulsation the blood is moved, perfected, made apt to nourish, and is preserved from corruption and coagulation; it is the household divinity which, discharging its function, nourishes, cherishes, quickens the whole body, and is indeed the foundation of life, the source of all action."

                                                                                                  
William Harvey, 1628

29
Jul09

Dave Matthews Band - Where Are You Going?

Alex

Dave Matthews Band - Where Are You Going

Where are you going
With the long face pulling down
Dont hide away like an ocean
But you can see, but you can smell and the sound
Of your waves coming down


I am no superman not at all
But I have no answers for you
I am no hero, and thats for sure
But I do know one thing
Where you go, is where I want to be


Where are you going?
Where do you go?


Are you looking for answers
For reasons under the stars
If along the way, you are growing weary
You can rest with me until a brighter day


I am no superman, thats for sure
And I have no answers, yeah
I am no hero, oh dont you know
But I do know one thing,
Where you are is where I belong
Where you go, I do know, is where I belong


Where are you going, with your beautiful face looking down
Dont hide away
You are like an ocean
That I cant see, but I can smell and the sound
Of your waves coming down


I am no superman, thats for sure
I have no answers for you
I am no hero, oh not at all
I do know one thing, where you are is where I belong
Where you are is where I want to be.

28
Jul09

To be alive

Alex

 

To be alive: not just the carcass
But the spark.
That's crudely put, but…

If we're not supposed to dance,
Why all this music?

 

                             Gregory Orr

 

27
Jul09

Definitivo

Alex



Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.


A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

 

                                                                                          Carlos Drumond de Andrade

27
Jul09

Choosing the right path

Alex

It’s been said that the saddest thing a man will ever face is what might have been.

But what of a man whose faced with what was? Or what may never be? Or what can no longer be?

Choosing the right path is never easy.

It’s a decision we make with only our hearts to guide us. But sometimes we find our way to something better. Sometimes we fight through the regret and remorse of our mistakes, our malice and our jealousy and the shame we feel for not being the people we were meant to be. And that’s when we find our way to something better.

Or when something better finds its way to us.

Dan - Voiceover (One Tree Hill)
23
Jul09

De tudo ficaram três coisas...

Alex

De tudo ficaram três coisas...
A certeza de que estamos começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que podemos ser interrompidos
                                     antes de terminar...
Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!

                                   Fernando Sabino

22
Jul09

Alarm - a luta diária

Alex

“Alarm”  de Jang Moo-Hyun do estúdio Mesai.

 

A luta matinal da preguiça e do sono contra os despertadores e os maldito botões “snooze” que enganam o sono por mais 5 minutinhos. Toooodos os dias...

 

É quase sem por nem tirar o meu acordar...cabelo ao contrário..quase adormecer a tomar o peq. almoço...à excepção da pistola que ele utiliza...eu é com uma pressão de ar ou caçadeira de canos serrados.

 

Muito bom!

 

 

Alarm from Meteorix007 on Vimeo.

Alarm is an animation directed for Jang Moo-hyun from the independent team of MESAI.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D